Nicolas HulotUm dos “tabus” da campanha eleitoral francesa chegou ao fim. Nicolas Hulot, ecologista, jornalista e apresentador de televisão, disse em conferência de imprensa que não será candidato à presidência francesa. Hulot apresentou três motivos que justificaram a sua decisão. Primeiro, porque ele resolveu confiar na palavra e no compromisso dos principais candidatos em relação ao Manifesto Ecologico, proposto por Nicolas Hulot e assinado pelos pretendentes ao cargo de presidente.
O segundo motivo foi o medo de que um desempenho medíocre nas urnas diminuísse o valor da sua causa e dos valores que defende. Por ultimo, o ecologista disse que desistiu da candidatura para continuar sendo um mediador entre “a sociedade civil e política, a comunidade científica e a opinião pública”, justificou. O ecologista afirmou, ainda, que não apoiará nenhum candidato.
Nicolas Hulot,acusado de ter uma exposição mediática excessiva, resolve, desta forma, manter a sua acção sob os holofotes da oposição e não engajar-se com nenhum projecto político em especial. Pode ser uma estratégia de sobrevivência ou uma vontade genuína, mas Nicolas Hulot conseguiu trazer a ecologia aos olhos do público, feito que milhares de Verdes ao redor do mundo têm dificuldade em realizar.