baudrillardMorreu um dos grandes pensadores franceses. Jean Baudrillard, 77 anos, faleceu na última segunda-feira em Paris. Apesar do estatuto, Baudrillard recusava o rótulo de intelectual, preferia gritar pela sua causa sem títulos de identificação. Apenas se dizia um “dissidente da verdade”. Escreveu o seu primeiro livro em 1968 (O Sistema dos Objectos) e deu aulas na universidade até 1990. Suas obras são profundamente estudadas em cursos de comunicação pelo panorama que traça dos meios de comunicação e da sua influência na vida das pessoas. Filmes como Matrix ou Truman Show foram apenas duas peças do enorme emaranhado de referências à obra do sociólogo francês.
Depois do 11 de Setembro, a que Baudrillard chamou de “atentado contra o Ocidente”, passou a ser ainda mais requisitado para dar palestras e declarações. Sua obra “Power Inferno” é uma reunião de artigos sobre a política dos Estados Unidos e o seu império mundial. O pensador costumava chamar a sociedade americana de “grau zero de cultura” e ela foi um dos objectos de estudo mais fascinantes de Baudrillard, justamente por ser o berço da comunicação de massa. O Le Figaro diz que o sociólogo foi “demonizado” nos últimos tempos, principalmente pelas suas opiniões radicais e pensamentos intuitivos fora do padrão. (FOTO: Eric Feferberg/AFP)